Notícias
 
Europeus vão gastar 7,6 mil milhões de euros em compras online no Natal
 
     
 

Neste Natal, as vendas de comércio electrónico a retalho na Europa deverão bater todos os recordes, representando no total um montante de 7,6 mil milhões de euros, uma subida de 86 por cento em comparação com o mesmo período do ano passado, refere um novo estudo da empresa de análise de mercados Forrester.

Em Dezembro de 2002 e pela primeira vez, a soma originária das vendas online no Reino Unido irá ultrapassar a barreira dos mil milhões de libras (1,57 mil milhões de euros). Os analistas da Forrester estimam ainda que as vendas efectuadas em sites da Web irão subir para os 20 mil milhões de euros em toda a Europa, contando a Alemanha por si própria com cinco mil milhões. Em contraste, as previsões da empresa apontam para que as vendas online de retalho durante a época natalícia atinjam os 9,5 mil milhões de euros.

No Natal passado, os europeus gastaram mais de quatro mil milhões de euros em compras online, mas à medida que mais consumidores forem comprando mais através da Web, a Forrester prevê que o valor das aquisições ascenda aos 7,6 mil milhões de dólares. Por outro lado, os cerca de 15 milhões de consumidores no Reino Unido que costumam efectuar compras online irão despender 2,6 mil milhões de euros através da Web nesta época, sendo que desta quantia, 1,7 mil milhões serão gastos só no próprio mês de Dezembro.

O estudo da Forrester aponta ainda para que este ano a Internet na Europa atinja a sua verdadeira maturidade como canal de retalho, dado que apenas ficará atrás dos Estados Unidos por 1,8 mil milhões de euros. No total, a percentagem de adultos europeus que fazem compras online subiu de 14 por cento em 2001 para 19 por cento em 2002. Ao mesmo tempo, a quantia média anual gasta pelo europeu médio que efectua compras na Web aumentou 40 por cento, de 374 para 527 euros.

Apesar de ultrapassar o Reino Unido no número de consumidores online, possuindo cerca de 18 milhões, o valor das vendas efectuado na Alemanha não reflecte directamente esta realidade, dado que os alemães passam menos 30 por cento do tempo online do que os britânicos. Em alternativa, muitos alemães preferem pesquisar por produtos online e adquiri-los nas lojas, levando a que, segundo a Forrester, se possa dizer que mais de cinco mil milhões das compras efectuadas no comércio tradicional sejam influenciadas pela utilização da Net.

 
     
  <voltar  
     
  22 de Abril de 2018  

 

   
 
 Desenvolvimento por VIDAMnet Dep. de Design